Energia fotovoltaica: o que você precisa saber sobre sistemas On e Off grid

Qual a diferença entre os sistemas On e Off grid?

A energia fotovoltaica, mais conhecida como energia solar, está em alta já vai fazer um bom tempo. Ela tem sido a opção de muitas pessoas e empresas que se interessam por sustentabilidade. Por se tratar de uma fonte limpa e inesgotável de energia.

Quando falamos da energia solar, existem dois tipos básicos de sistemas: on e off grid. Neste artigo vamos explicar o que você precisa saber a respeito deles! Continue a leitura para conferir!

O QUE SÃO OS SISTEMAS ON E OFF GRID?

Essencialmente, existem dois tipos de sistemas fotovoltaicos: os conectados à rede (on grid) e os não conectados à rede (off grid). O que isso significa?

Como os sistemas on grid são conectados à rede elétrica, eles podem trazer grandes economias! Por estarem conectados, quando a energia gerada pela luz solar excede o necessário, essa energia é enviada para a rede elétrica. O que gera descontos da conta de luz.

Quando a energia gerada não é o suficiente, a rede elétrica compensa com o faltante. Pagando apenas o que foi consumido naquele período.

Já os sistemas off grid, são utilizados para uso local. Eles abastecem diretamente os aparelhos que utilizarão energia, sem conexão alguma à rede elétrica. É bem comum encontrar esse modelo de sistema em lugares afastados, que não possuem ligação com distribuidoras de energia.

Em sistemas off grid, a energia excedente é armazenada em baterias, que garantem o abastecimento em períodos que não se têm sol.

QUAIS OS BENEFÍCIOS PARA O MEIO AMBIENTE?

Você provavelmente já está familiarizado com os benefícios da energia fotovoltaica para o meio ambiente, por se tratar de um assunto bastante comentado nos últimos anos. Porém, achamos importante sempre relembrar.

Por isso, listamos os benefícios a seguir:

  • Redução da emissão de gases do efeito estufa;
  • Fonte de energia limpa, renovável e sustentável;
  • Baixo impacto ambiental;
  • Não faz barulho;
  • Manutenção mínima;
  • Inesgotável;

QUAL O MELHOR SISTEMA PARA VOCÊ?

Antes de decidir qual dos dois é melhor para você, é preciso ter em mente que ambos requerem alguns componentes.

SISTEMAS ON GRID

Os sistemas on grid, são normalmente usados em áreas urbanas, por isso, necessitam, além dos painéis fotovoltaicos e cabeamento especial, de um inversor energético. Ele que vai ser responsável por converter a energia gerada pelo sistema (corrente contínua) para o tipo de energia que circula em postes de luz (corrente alternada). Os sistemas on grid também requerem um relógio bidirecional, para que a medição da energia, tanto gerada quando consumida, seja medida.

SISTEMAS OFF GRID

Os sistemas off grid também precisam de inversores, além de baterias. Isso porque a maior parte dos equipamentos domésticos funciona com energia alternada. Geralmente, os sistemas off grid não são recomendados para áreas urbanas, sendo preferidos para alimentar equipamentos que demandam cargas mais potentes – como motores, bombas d’água e máquinas agrícolas.

 

As vantagens que os sistemas on e off grid podem trazer para sua conta de luz, seu negócio e para o planeta, como pudemos ver são inúmeras. Agora que você já sabe mais a respeito desse assunto, é só escolher qual se encaixa melhor com seus objetivos e iniciar seu projeto!

A Eletrorede Engenharia projeta e executa serviços de infraestrutura elétrica, hidráulica e combate a incêndio, atendendo clientes de diferentes segmentos. Dentre nossos serviços, trabalhamos com a distribuição de forças e sistemas de geração limpa e autônoma de energia, como a energia fotovoltaica. Entre em contato conosco para saber mais!

Guia: Como fazer o dimensionamento de circuito elétrico?

Com instalações elétricas cada vez mais complexas, o dimensionamento de circuito elétrico correto é essencial.

Você com certeza já passou por uma situação onde a rede elétrica do lugar onde você estava caiu. Isso acontece por conta da má divisão ou dimensionamento de circuitos elétricos. Em alguns casos isso inclusive causar curtos circuitos e incêndios.

Então, como fazer um dimensionamento de circuito elétrico corretamente?

Nós separamos um passo a passo, com tudo o que você precisa saber. Continue a leitura para conferir!

SEGUINDO A NORMA NBR 5410

A norma NBR 5410 da ABNT serve para instalações elétricas de baixa tensão. Segundo ela, os sistemas de distribuição de um circuito elétrico são determinados em função do:

  • Esquema de condutores vivos
  • Esquema de aterramento

Para condutores vivos a norma considera o seguinte:

Corrente alternada

  • Monofásico a 2 condutores
  • Monofásico a 3 condutores
  • Bifásico a 3 condutores
  • Trifásico a 3 condutores
  • Trifásico a 4 condutores

Corrente contínua

  • 2 condutores
  • 3 condutores

COMO FAZER O DIMENSIONAMENTO DE FORMA CORRETA?

O primeiro passo para começar o dimensionamento é considerar todos os equipamentos que estarão ligados no circuito. A partir disso, é preciso ser feito o cálculo da corrente elétrica que irá circular pelo circuito e definir a seção adequada dos condutores.

Isso porque quando uma corrente elétrica passa por um condutor, ele é aquecido e a temperatura máxima do condutor não pode ser ultrapassada. Se a corrente for muito alta, o condutor escolhido deve ser maior.

Para evitar que a corrente seja maior que a permitida nos condutores, é bom que sejam instalados disjuntores nos quadros de luz. Eles servem para desligar automaticamente o sistema em caso de sobrecarga ou curto-circuito.

Com o dimensionamento feito da forma correta, seguindo as exigências estabelecidas pela norma NBR 5410, problemas como queda de tensão, curtos circuitos e até mesmo incêndios podem ser evitados com mais facilidade.

A Eletrorede Engenharia projeta e executa serviços de infraestrutura elétrica, hidráulica e combate a incêndio, atendendo clientes de diferentes segmentos. Dentre nossos serviços, trabalhamos com mudanças de layout! Para isso, é preciso de um bom dimensionamento de circuitos elétricos. Entre em contato conosco para saber mais!

Sistema Novec 1230: O que é isso?

Conheça tudo sobre o sistema Novec 1230, o mais eficiente do mercado.

O Sistema Novec 1230 é o agente extintor desenvolvido pela 3M, um dos mais eficientes do mercado, proporcionando a junção perfeita entre segurança e sustentabilidade!

Hoje você poderá aprender mais a respeito dessa tecnologia.

Continue a leitura para conferir!

POR QUE A PREOCUPAÇÃO COM O MEIO AMBIENTE?

Desde o banimento do Halon em meados dos anos 90, devido aos danos causados ao meio ambiente, o cenário de sistema de combate a incêndio tem buscado por novas alternativas. O substituto encontrado na época foram os HFC’s, que resolveram parcialmente o problema, zerando os danos a camada de ozônio.

Porém, eles ainda contribuem muito para o aquecimento global e permanecem por décadas na atmosfera. Tanto que o protocolo de Montreal listou todos os HFC’s na lista dos gases a serem banidos em 2024.

O Novec 1230 possui uma tecnologia baseada em uma Cetona Fluorada, permanece apenas 5 dias no meio ambiente e praticamente não colabora para o aquecimento global. Além do baixíssimo impacto ambiental, ela é uma tecnologia segura para pessoas e equipamentos, com uma garantia contra banimento de 20 anos.

QUANDO USAR UM SISTEMA NOVEC 1230?

O Sistema Novec 1230 é útil em diversos segmentos, mas principalmente para a proteção de áreas criticas, como locais em que a operação ininterrupta de equipamentos é fundamental para a saúde da empresa. Como por exemplo:

  • Salas de controle
  • Museus
  • Centros de dados
  • Embarcações
  • Aplicações militares
  • Bibliotecas
  • Arquivos

A Eletrorede Engenharia projeta e executa serviços de infraestrutura elétrica, hidráulica e combate a incêndio, atendendo clientes de diferentes segmentos. Dentre nossos serviços, trabalhamos com a instalação do Sistema Novec 1230, projetado e instalado de acordo com as Normas da NFPA-2001! Entre em contato conosco para saber mais!

Gestão de documentos: por que é importante para a realização de uma obra?

A chave por trás de uma boa obra é a gestão de documentos!

Sabemos que nos dias atuais informação é tudo. Especialmente quando falamos de conseguir vantagens no mundo dos negócios e solucionar problemas. Claro que quando falamos de engenharia não pode ser diferente.

Quando lidamos com obras, saber o que está acontecendo é essencial. Por isso, uma gestão de documentos se torna uma solução infalível para o controle de informações de obra.

Continue a leitura para saber mais! 

O QUE É UMA GESTÃO DE DOCUMENTOS?

Ao contrário do que muitos pensam, fazer uma boa gestão de documentos é muito mais do que apenas armazenar informações. Ela ajuda a entender programas de certificação de qualidade, por conta da atualização constante dos documentos – um ponto muito importante.

Além disso, ela ajuda a simplificar rotinas, serve como forma de arquivamento, auxilia na diminuição de ruídos, falhas, conflitos e empecilhos entre a equipe e clientes.

COMO FAZER UMA BOA GESTÃO DE DOCUMENTOS?

O avanço da tecnologia tem um grande papel em uma gestão de qualidade. A adoção de processos automatizados e soluções digitais auxiliam a empresa a acompanhar o ritmo do mercado e da obra que acontece.

Selecionamos as boas práticas para uma gestão de documentos eficiente, confira!

CATEGORIZE E ORGANIZE

Organização é fundamental para qualquer tipo de gestão. Por isso, é importante ter uma visão geral do que é prioridade, como:

  • Contratos
  • Atas
  • Declarações
  • Relatórios
  • Certificados
  • Manuais
  • Comprovantes

Depois disso estabelecido, é a hora de categorizar os materiais. Com isso, é mais fácil enxergar o todo e ter ideias de como fazer um armazenamento de informações intuitivo e de qualidade.

DEFINA RESPONSABILIDADES

Uma ferramenta digital que possibilita o acesso de todos pode ser uma benção ou uma maldição. Por isso, é importante definir responsabilidades com sua equipe e delimitar o acesso de cada um dos colaboradores.

Dessa forma corre-se menos risco de misturar e perder arquivos importantes. Também facilita o uso da ferramenta para os colaboradores. Deixando mais simples a criação, armazenamento, atualização, compartilhamento e consultas de documentos referentes às obras.

CRIE FLUXOS PRÁTICOS E INTUITIVOS

A gestão de documentos existe para facilitar processos, por isso, quanto mais simples e intuitivos forem os fluxos de trabalho, melhor. É importante manter uma linha de comunicação direta e transparente, com foco na autonomia dos colaboradores que estiverem no projeto.

SEMPRE ACOMPANHE AS ALTERAÇÕES FEITAS

Por ser uma tarefa compartilhada, é importante ficar de olho nas modificações feitas nos documentos. Dessa forma, tudo fica registrado e não se corre o risco de perder os documentos por falta de controle.

APOSTE EM DEIXAR OS DOCUMENTOS NA NUVEM

O armazenamento em nuvem revolucionou a forma que arquivamos nossos documentos. Além de simplificar o trabalho e economizar papel e tinta de impressora, a nuvem:

  • Economiza tempo e dinheiro
  • Promove um fácil acesso às informações
  • Traz maior facilidade para encontrar arquivos
  • Centraliza todos os materiais
  • Possibilita o acesso remoto
  • Atualiza de forma automática novas versões e licenças
  • Garante a segurança dos dados

Seguindo essas dicas, fazer uma boa gestão de documentos ficará mais simples, e você poderá acompanhar todos os projetos de sua empresa em qualquer lugar – sem perder nada!

 

A Eletrorede Engenharia projeta e executa serviços de infraestrutura elétrica, hidráulica e combate a incêndio, atendendo clientes de diferentes segmentos. Entre em contato para saber mais!

Incêndios por curto-circuito: Como evitar?

Separamos algumas dicas para ajudar você a evitar curto-circuito!

Quando falamos de curto-circuito, muitas vezes, não dimensionamos o estrago que ele pode fazer de fato. Em 2018, os curtos-circuitos foram responsáveis por 536 incêndios, segundo a Abrcurto-circuitoacopel (Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade).

Então, como um curto-circuito acontece e como podemos evitá-lo? Continue a leitura para descobrir!

COMO ACONTECE UM CURTO-CIRCUITO?

Um curto-circuito acontece quando condutores com polaridades diferentes entram em contato, formando então uma corrente elétrica de intensidade muito elevada, que flui sem resistência.

Geralmente eles acontecem por conta de gambiarras e instalações com falhas de isolação. Com conexões elétricas malfeitas e mal dimensionadas, sem respeitar as normas técnicas.

Outro responsável, especialmente quando falamos do ambiente doméstico, é o benjamim. Aparelhos com um consumo maior de energia, como geladeiras ou ar-condicionado devem ser ligados em circuitos próprios.

Ligar mais de um aparelho em uma tomada aumenta a demanda de energia, o que pode acabar fritando a fiação.

COMO POSSO EVITAR UM CURTO-CIRCUITO?

Incêndios são uma grande dor de cabeça. Para ajudar você a se prevenir, separamos algumas dicas para evitar um curto-circuito.

#1 USO DE DISJUNTORES

Os disjuntores são dispositivos que funcionam como chaves, interrompendo o circuito, caso haja um pico de corrente fora do especificado. Ao escolher um disjuntor, a corrente que devemos levar em conta é sempre a corrente máxima suportada pelos condutores — e, de preferência, ficar abaixo dela — e não a corrente de funcionamento dos aparelhos.

#2 FAÇA REVISÃO

Fazer revisão regularmente não é algo restrito a carros. Outros aparelhos e até mesmo as próprias instalações elétricas precisam desse cuidado regular para manter o bom funcionamento.

É recomendado que a revisão de instalações elétricas seja feita a cada 5 anos, verificando desgaste de fios e conexões – evitando o curto-circuito.

#3 SEMPRE CONTE COM PROFISSIONAIS PARA REALIZAR INSTALAÇÕES

Na maioria dos casos, o curto-circuito acontece por conta de adaptações e “gambiarras” feitas por pessoas que não são especialistas para realizar a função. São casos que podem ser facilmente evitados se feitos por pessoas que entendem do assunto e seguem as normas estabelecidas pela NBR-5410.

A Eletrorede Engenharia projeta e executa serviços de infraestrutura elétrica, hidráulica e combate a incêndio, atendendo clientes de diferentes segmentos. Entre em contato para saber mais!

 


Gestão de apontamento: o que é isso?

Entenda como a gestão de apontamento pode tornar seu trabalho mais simples e eficiente

Gestores de qualquer área sabem da importância de um bom planejamento. Com ele é mais fácil detectar falhas, corrigir problemas, entender onde o projeto deu errado e pensar em novas soluções e oportunidades.

Porém, não são todas as empresas, especialmente quando falamos em engenharia, que conseguem ter um bom planejamento e estabelecer um sistema eficiente de gestão de dados. O que pode ser prejudicial, causando atrasos desnecessários,

Para isso, a gestão de apontamento é uma ótima aliada. Continue a leitura para entender!

O QUE É A GESTÃO DE APONTAMENTO?

A gestão de apontamento é uma metodologia – que pode ser aplicada em qualquer área de especificidade – empregada para fazer o monitoramento e controle de horas trabalhadas por uma equipe.

Além disso, podem ser listados os gastos e insumos, relacionados a um projeto especifico. Todas as atividades podem ser detalhadas, o que permite o controle de tudo que foi executado no projeto, ajudando na hora de fazer uma avaliação completa do projeto e força de trabalho aplicada.

Atualmente com a tecnologia, já é possível encontrar softwares e aplicativos voltados para esse tipo de gerenciamento, contribuindo de maneira eficiente para a rotina diária de sua empresa.

POR QUE É VANTAJOSO?

Não é sempre que podemos acompanhar uma obra de perto. Com uma gestão de apontamento, é mais fácil manter a rotina intacta, permitindo que a empresa tenha seus trabalhos padronizados, menos custo e mais eficiência na hora de executar um projeto.

Além disso, com um monitoramento constante dos processos, é mais fácil de ter acesso a informações importantes para a tomada de decisões e formas de conduzir o projeto de maneira mais eficiente.

 

A Eletrorede Engenharia atente empresas de diversos segmentos, projetando e executando diferentes tipos de projetos. Entre em contato para saber mais! Especializada em serviços que vão do planejamento de montagem de infraestrutura à manutenção industrial.

Ciclo PDCA: Como ele pode te ajudar a gerenciar uma obra?

Essa metodologia pode fazer toda a diferença na hora de gerenciar uma obra!

Não é a primeira vez que ressaltamos a importância de um gerenciamento de obra eficiente. Saber gerenciar uma obra é o primeiro passo para um projeto bem sucedido. Algumas ferramentas são ótimas aliadas nesse processo, como por exemplo, a metodologia PDCA.

Quer saber como aplicar o ciclo PDCA no seu gerenciamento de obra? Continue a leitura!

O QUE É PDCA?

O ciclo PDCA é uma metodologia norte-americana, usada na resolução de problemas. A sigla é composta por quatro letras que resumem as atividades que devem ser feitas pela gestão. As etapas são:

Plan – planejar

Do – fazer

Check – checar

Act – atuar

COMO ELE FUNCIONA?

Seguindo a ordem das letras, é preciso primeiro fazer um planejamento detalhado de ações, considerando todas as limitações do projeto. O segundo passo é colocar o plano em prática, realizando todos os planos de ação sugeridos no planejamento.

A terceira etapa é uma das mais importantes, é a fase de checar. Com ela, são detectados os pontos positivos, erros e desvios do plano original. E por último, depois de analisar os erros, se deve atuar para diminuí-los, voltando ao planejamento original e corrigindo-o com novas ações e detalhes.

COMO VOCÊ PODE MAXIMIZAR SEUS RESULDADOS COM O PDCA?

Mesmo com a rotina corrida de uma construção, para que a aplicação do PDCA dê certo, é preciso que alguns procedimentos sejam seguidos e alguns controles sejam feitos. Como por exemplo:

  • Apontamento de atividades e mão de obra
  • Avaliação do desempenho e eficiência dos serviços e equipamentos
  • Verificação e acompanhamento de erros e não conformidades
  • Reuniões e treinamentos de segurança
  • Controle de documentos
  • Inspeções frequentes
  • Cumprimento dos programas de qualidade

Aplicar o PDCA em seu gerenciamento de obras fará toda a diferença para seu processo, tornando sua gestão mais eficiente. É recomendado que se comece em processos pequenos, e assim que a técnica estiver aperfeiçoada, partir para processos mais complexos.

 

A Eletrorede Engenharia projeta e executa serviços de infraestrutura elétrica, hidráulica e combate a incêndio, atendendo clientes de diferentes segmentos. Entre em contato para saber mais!

Iluminação de Emergência: Tudo o que você precisa saber a respeito

O que é, qual a importância e quais os tipos de iluminação de emergência? 

Uma parte muito importante do sistema de combate a incêndio é a iluminação de emergência. Ele tem a função de tornar segura a evacuação em situações como queda de luz, incêndios e outros problemas que forçam uma saída rápida dos ambientes.

Neste artigo vamos explicar tudo o que você precisa saber sobre um sistema de iluminação de emergência. Continue a leitura para conferir! Continue lendo “Iluminação de Emergência: Tudo o que você precisa saber a respeito”

Drenagem subterrânea: conheça as 5 modalidades

Entenda melhor as modalidades da drenagem subterrânea na engenharia.

Realizar uma obra envolve diversos processos. A drenagem subterrânea é um deles – muito importante para outras áreas também, como a agricultura e construção civil. Por conta de sua versatilidade, já podemos assumir que não existe apenas uma forma de fazer a drenagem subterrânea.

E assim como todo processo que conta com muitas modalidades, cabe ao engenheiro decidir, com base em parâmetros técnicos e logísticos qual o melhor método a ser utilizado. Para isso, é preciso conhecer as modalidades.

Continue a leitura e confira as 5 modalidades de drenagem subterrânea! Continue lendo “Drenagem subterrânea: conheça as 5 modalidades”

1